RINITE ALÉRGICA: Sintomas, Causas e Tratamento

Curta e Compartilhe!
<span class=\"notranslate\"><strong>Tempo de leitura:</strong></span> 7 minutos

A rinite alérgica

Um alérgeno é uma substância inofensiva que causa uma reação alérgica em pessoas sensíveis.

A rinite alérgica sazonal, ou febre do feno, é uma resposta alérgica a alérgenos específicos.

publicidade

O pólen é o alérgeno mais comum na rinite alérgica sazonal que ocorre com a mudança das estações.

Entre 10 e 30% da população mundial sofre de rinite alérgica.

Também existe a rinite não alérgica, ou seja: não causada por uma reação alérgica. Os sintomas são os mesmos.

Sintomas de rinite alérgica

Os sintomas comuns de rinite alérgica incluem:

  • espirros
  • coriza (nariz escorrendo)
  • congestão nasal (nariz entupido)
  • sensação de conceira no nariz
  • tosse
  • garganta dolorida ou “arranhando”
  • coceira nos olhos
  • olhos lacrimejando
  • olheiras sob os olhos
  • dores de cabeça frequentes
  • sintomas do tipo eczema, como ter uma pele extremamente seca e com coceira que pode apresentar placas vermelhas
  • urticária
  • fadiga excessiva

A pessoa geralmente sente um ou mais desses sintomas imediatamente após entrar em contato com um alérgeno.

Alguns sintomas, como dores de cabeça recorrentes e fadiga, devem ocorrer após exposição prolongada a alérgenos.

Febre não é um sintoma de rinite alérgica, apesar do sinônimo “febre do feno”.

Algumas pessoas experimentam sintomas apenas raramente, enquanto outras experimentam sintomas durante todo o ano.

O que causa a rinite alérgica?

Quando o corpo entra em contato com um alérgeno, libera histamina, que é um químico natural que defende o corpo contra o alérgeno.

A histamina pode causar rinite alérgica e seus sintomas, incluindo coriza, espirros e coceira nos olhos.

Além do pólen das árvores, outros alérgenos comuns incluem:

  • pólen de grama
  • ácaros
  • caspa animal
  • saliva de gato
  • mofo

Durante certas épocas do ano, o pólen pode ser especialmente problemático.

Os pólens de árvores e flores são mais comuns na primavera. Gramíneas e ervas daninhas produzem mais pólen no verão e no outono.

Tipos de rinite alérgica

Os dois tipos de rinite alérgica são:

  • sazonal
  • perene

Alergias sazonais geralmente ocorrem durante a primavera e o outono e são tipicamente em resposta a alérgenos externos como o pólen.

Alergias perenes podem ocorrer durante todo o ano, ou a qualquer momento durante o ano, em resposta a substâncias, como ácaros e pelos de animais.

publicidade

Fatores de risco para rinite alérgica

As alergias podem afetar qualquer pessoa, mas é mais provável que a pessoa desenvolva rinite alérgica se houver um histórico de alergias na família.

Ter asma ou eczema atópico também pode aumentar o risco de rinite alérgica.

É a tríade atópica: rinite, eczema e asma.

Alguns fatores externos podem desencadear ou piorar essa condição, incluindo:

  • fumaça de cigarro
  • produtos químicos
  • temperaturas frias
  • umidade
  • vento
  • poluição do ar
  • laca (a resina)
  • perfumes e colônias
  • Fumaça de madeira

Diagnóstico da rinite alérgica

A história e o exame físico geralmente são suficientes para o médico chegar à conclusão de rinite alérgica.

No entanto, o médico pode solicitar alguns exames para descobrir o melhor tratamento e plano de prevenção, conforme cada paciente.

O teste cutâneo é o mais comum: várias substâncias são colocadas em contato com a pele para ver como o corpo reage a cada uma delas.

Um exame de sangue para medir a quantidade de anticorpos da imunoglobulina E para determinados alérgenos também pode ser útil.

Tratamentos para rinite alérgica

A rinite alérgica pode ser tratada de várias maneiras.

Estas incluem medicamentos, bem como remédios caseiros e, possivelmente, medicamentos alternativos.

Anti-histamínicos

Os anti-histamínicos impedem o corpo de liberar histamina ao ter contato com o alérgeno.

Alguns anti-histamínicos vendidos sem receita incluem:

  • fexofenadina
  • difenidramina
  • desloratadina
  • loratadina
  • levocetirizina
  • cetirizina

Mesmo sendo vendidos sem receita médica, a pessoa deve verificar com o seu médico se a medicação antialérgica não interfere com outros medicamentos que esteja tomando ou com outra doença que possa vir a ter.

Descongestionantes

O uso  descongestionantes deve ser por um curto período, geralmente não mais de três dias, para aliviar a congestão nasal (nariz entupido).

É importante aliviar a congestão nasal, pois eta condição pode obstruir a drenagem de secreções dos seios paranasais e causar sinusite.

Saiba o que são seios paranasais e o que é sinusite.

O uso de descongestionantes nasais por um longo período de tempo pode causar um efeito rebote, o que significa que, uma vez que a pessoa pare, os sintomas vão piorar.

O uso prolongado de descongestionantes causa dependência por causa do efeito rebote.

Os descongestionantes mais comuns incluem:

  • oximetazolina
  • pseudoefedrina
  • fenilefrina

Assim como os anti-histamínicos, mesmo sendo vendidos sem receita médica, a pessoa deve verificar com o seu médico se a medicação não interfere com outros medicamentos que esteja tomando ou com outra doença que possa vir a ter.

Principalmente a pessoa que tem um ritmo cardíaco anormal, doença cardíaca, história de acidente vascular cerebral, ansiedade, distúrbios do sono, pressão alta ou problemas na bexiga.

Colírios e sprays nasais

Colírios e sprays nasais podem ajudar a aliviar a coceira e outros sintomas relacionados à alergia por um curto período de tempo.

No entanto, dependendo do produto, talvez seja necessário evitar o uso a longo prazo.

Como os descongestionantes, o uso excessivo de certos colírios e gotas para o nariz também pode causar um efeito rebote.

Os corticosteróides em spray nasal podem ajudar na inflamação e nas respostas imunológicas. Estes não causam um efeito rebote.

Os sprays nasais de corticosteróides são comumente recomendados como uma maneira útil e de longo prazo para controlar os sintomas da alergia.

publicidade

Imunoterapia subcutânea

Em alguns casos, o médico pode recomendar imunoterapia com injeções subcutâneas.

A imunoterapia é usada nos caso de alergias graves, em conjunto com medicamentos para controlar os sintomas.

Essas injeções diminuem a resposta imunológica a alérgenos específicos ao longo do tempo, fazendo o corpo acostumar gradualmente com estes alérgenos.

Imunoterapia sublingual

A imunoterapia sublingual é feita com um medicamento (comprimido ou líquido) colocado sob a língua, contendo uma mistura de vários alérgenos.

Funciona de forma semelhante à imunoterapia subcutânea, mas sem injeção.

Atualmente, é eficaz no tratamento de rinite e asma causadas por gramíneas, pólen de árvores, pelos de gatos, ácaros e ervas.

No Estados Unidos, o FDA autorizou a venda do medicamento Oralair para pessoas de 10 a 65 anos. No Brasil não há nada semelhante.

A primeira dose de qualquer imunoterapia sublingual deve ser realizada no consultório médico, devido ao risco de reação alérgica grave, tipo anafilaxia, que pode ser fatal.

Probióticos

Conforme uma pesquisa da Universidade da Flórida, EUA, uma combinação de probióticos pode ajudar a reduzir os sintomas da rinite alérgica quando tomada durante a as épocas do ano em que a pessoa mais tem crises.

Estes efeitos ocorrem devido à modulação do sistema imunológico.

Os probióticos Lactobacillus e Bifidobacterium parecem prevenir as recorrências alérgicas, aliviar a severidade dos sintomas e promover a melhora da qualidade de vida dos pacientes com rinite alérgica.

Procedimentos caseiros

Procedimento simples podem ajudar a controlar as alergias sazonais ou de pólen:

  • usar um condicionador de ar em vez de abrir as janelas
  • se possível, adicionar um filtro projetado para alergias nos aparelhos de ar condicionado

O uso de desumidificador dentro de casa reduz a proliferação de mofo.

Se a pessoa é alérgica a ácaros, deve lavar os seus lençóis e cobertores em água quente acima de 54,4 ° C. 

Também é importante retirar cortinas e tapetes da casa para evitar o acúmulo de poeira e ácaros.

Irrigação salina nasal

A irrigação nasal ajuda a desobstruir a passagem nasal, melhorando os sintomas de rinite e evitando a evolução para sinusite.

No artigo sobre sinusite descrevemos detalhadamente como deve ser feita a irrigação nasal.

Complicações da rinite alérgica

O tratamento e o controle dos sintomas são a chave para alcançar uma boa qualidade de vida.

Algumas complicações que podem surgir incluem:

  • dificuldade para dormir
  • desenvolvimento ou agravamento dos sintomas da asma
  • infecções de ouvido frequentes
  • sinusite
  • redução da produtividade no trabalho ou na escola
  • dores de cabeça frequentes

As complicações também podem surgir dos efeitos colaterais dos anti-histamínicos, como a sonolência.

Outros efeitos colaterais incluem dor de cabeça, ansiedade e insônia.

Em casos raros, os anti-histamínicos podem causar efeitos gastrointestinais, urinários e circulatórios.

Rinite alérgica em crianças

As crianças também podem desenvolver rinite alérgica, e geralmente aparece antes dos 10 anos de idade.

Sintomas semelhantes aos do resfriado no mesmo período de cada ano sugerem rinite alérgica sazonal.

Os sintomas em crianças são semelhantes aos dos adultos.

As crianças geralmente desenvolvem olhos lacrimejantes e vermelhos, o que é chamado de conjuntivite alérgica.

A  criança também pode ter chiado ou falta de ar, o que é sugestivo de asma.

Prevenindo alergias

A melhor maneira de prevenir os sintomas de alergia é antecipar aos eventos desencadeantes antes que o corpo tenha chance de reagir aos alérgenos.

As seguintes medidas preventivas para os alérgenos específicos podem ajudar:

Pólen

Iniciar medicamentos anti-histamínicos e probióticos antes de ataques sazonais de alergia pode reduzir as crises.

Também é importante manter as janelas fechadas durante a temporada de liberação do pólen e evitar a secar a roupa no varal em ambiente aberto.

Também para reduzir a exposição ao pólen, a pessoa de ficar em ambiente fechado na época de maior contagem de pólen no ar e evitar exercitar-se ao ar livre no início da manhã.

Após voltar do ambiente externo, deve tomar imediatamente.

Se for necessário realizar trabalhos em ambientes com grama e árvores, a pessoa deve usar máscaras para manter a boca e o nariz cobertos.

Ácaros

Para reduzir a exposição a ácaros, deve-se evitar poeira e umidade.

A casa deve ser limpa com aspirador de pó preferencialmente.

Carpetes, tapetes, cortinas e tudo que acumula poeira devem ser evitados.

Travesseiros anti-ácaros podem ser úteis.

Pelo de animais

Idealmente, a pessoa deve limitar a exposição a qualquer animal que seja alérgico.

Se isso não for possível, todas as superfícies devem ser limpas com freqüência e as mãos lavadas imediatamente depois de tocar em animais de estimação.

Evite os animais dentro de casa e, principalmente na cama e no sofá.

Os animais de estimação devem tomar banho pelo menos duas vezes por semana para minimizar os pelos soltos.

Referências

publicidade

Veja também:

data-matched-content-ui-type="image_sidebyside" data-matched-content-rows-num="3" data-matched-content-columns-num="3" data-ad-format="autorelaxed">