PSORÍASE: Tipos, Sintomas e Diagnóstico

Curta e Compartilhe!
Tempo de leitura: 5 minutos

A psoríase

Milhões de pessoas no Brasil têm psoríase.

A psoríase pode começar em qualquer idade, mas a maioria dos diagnósticos ocorre na idade adulta, sendo a média de início entre 15 e 35 anos.

publicidade

Homens e mulheres são afetados igualmente. E é muito mais comum em pessoas de pele clara.

Ter um membro da família com a doença aumenta o risco. No entanto, muitas pessoas com a doença não têm história familiar e algumas pessoas com histórico familiar não desenvolvem a doença.

Cerca de 15% das pessoas com psoríase receberão um diagnóstico de artrite psoriática. Além disso, pessoas com psoríase são mais propensas a desenvolver condições como:

Veja uma abordagem rápida do que é psoríase em 5 perguntas e respostas sobre a doença.

Para conhecer o tratamento leia Psoríase: tratamento e controle.

Quais são os diferentes tipos de psoríase?

Existem cinco tipos:

Psoríase em placas

Este é a forma mais comum.

Estima-se que cerca de 80% das pessoas com a doença têm psoríase em placas.

Este tipo causa manchas vermelhas e inflamadas que cobrem áreas da pele.

Estas manchas são frequentemente cobertas com escamas prateadas ou esbranquiçadas.

Essas placas são comumente encontradas nos cotovelos, joelhos e couro cabeludo.

As placas no couro cabeludo podem ser confundidas com dermatite seborreica. Conheça as diferenças entre ambas.

Psoríase gutata

Este tipo é mais comum na infância e ns adolescência.

Esta forma provoca pequenas manchas cor de rosa, quase que arredondadas como uma “gota”. Por isso o nome gutata.

Os locais mais comuns incluem o tronco, os braços e as pernas.

publicidade

Essas manchas raramente são espessas ou aumentadas como a psoríase em placas.

Psoríase pustulosa

Esta forma é mais comum em adultos.

Este tipo causa bolhas brancas e cheias de pus e áreas amplas de pele vermelha e inflamada.

A psoríase pustulosa é tipicamente localizada em áreas menores do corpo, como as mãos ou pés, mas pode ser generalizada.

Um detalhe importante é que a presença de pus não significa que é uma infecção, pois essa secreção não contém bactérias.

Psoríase invertida

Esta condição causa áreas brilhantes de pele vermelha, brilhante e inflamada.

Manchas de psoríase inversa se desenvolvem sob axilas ou seios, na virilha ou em torno de dobras cutâneas nos genitais.

Este tipo é chamada de “invertida” porque as áreas afetadas são inversas às áreas comuns da psoríase em placas.

Psoríase eritrodérmica

A forma eritrodérmica é um tipo grave e muito raro de psoríase.

Essa apresentação geralmente cobre grandes seções do corpo de uma só vez.

A pele fica quase toda avermelhada e descamativa. As escamas que se desenvolvem geralmente se desfazem em grandes seções ou folhas.

Não é incomum que uma pessoa nesta condição tenha febre ou fique muito doente.

Este tipo pode ser fatal, por isso as pessoas devem consultar um médico imediatamente.

A forma eritrodérmica pode ser a primeira apresentação da doença ou pode ser causada pelo efeito rebote do uso de corticóides injetáveis por uma pessoa que já tem a doença.

Diagnóstico

Dois exames podem ser necessários.

Exame físico

A maioria dos médicos consegue fazer um diagnóstico com um simples exame físico.

Os sintomas e sinais são geralmente evidentes e fáceis de distinguir de outras condições que podem causar sintomas semelhantes.

Biópsia

Se os sintomas não forem claros ou se o seu médico quiser confirmar o diagnóstico suspeito, ele pode fazer uma biópsia da pele.

A amostra da pele será enviada para um laboratório, onde será examinada ao microscópio por um médico patologista.

O exame pode confirmar o diagnóstico de psoríase ou pode sugerir a condição. Como pode também descartar esse diagnóstico e indicar outro problema.

A maioria das biópsias é feita no consultório.

publicidade

Veja também:

data-matched-content-ui-type="image_sidebyside" data-matched-content-rows-num="3" data-matched-content-columns-num="3" data-ad-format="autorelaxed">