ENDOMETRIOSE: Diagnóstico e Tratamento

Tempo de leitura: 6 minutos 
 

Diagnóstico

Para diagnosticar endometriose, o primeiro passo é conhecer as características dos sintomas, a história da doença.

Leia sobre as causas, riscos e sintomas da endometriose.

publicidade

Verificado se os sintomas são compatíveis, como dor no período menstrual, por exemplo, o exame físico e exames complementares serão realizados.

O exame clínico

Durante um exame clínico pélvico, o médico sente manualmente (palpa) áreas da pelve para avaliar se há anormalidades, como cistos nos órgãos reprodutivos ou cicatrizes atrás do útero.

Muitas vezes, não é possível sentir pequenas áreas de endometriose, a menos que causem a formação de um cisto.

Exames complementares

Ultrassom ou ecografia

Este exame utiliza ondas sonoras de alta frequência para criar imagens do interior do corpo, conforme o eco que estas ondas fazem ao “baterem” nas superfícies dos órgãos e estruturas internas.

Para capturar as imagens, um dispositivo chamado transdutor é pressionado contra o abdome ou inserido na vagina (ultrassonografia transvaginal).

Ambos os tipos de ultrassom podem ser realizados para obter a melhor visualização dos órgãos do aparelho reprodutor, sendo que o ultrassom transvaginal, por chegar mais perto dos órgãos internos, tem visualização melhor.

Um teste padrão de imagem por ultrassom não informa definitivamente ao médico se a mulher tem endometriose, mas pode identificar cistos associados à endometriose (endometriomas).

Os endometriomas são cistos formados quando a endometriose envolve os ovários.

Ressonância magnética (RM)

A ressonância magnética é um exame que usa um campo magnético e ondas de rádio para criar imagens detalhadas dos órgãos e tecidos dentro do corpo.

Para alguns, uma ressonância magnética ajuda no planejamento cirúrgico, fornecendo ao cirurgião informações detalhadas sobre a localização e o tamanho dos implantes endometriais.

Laparoscopia

Em alguns casos, a própria cirurgia é o exame, sendo assim chamada de laparoscopia exploradora.

Geralmente realizada por vídeo, a vídeo-laparoscopia é feita por uma pequena incisão perto do umbigo, onde o médico insere um instrumento de visualização, o laparoscópio, que procura sinais de tecido endometrial fora do útero.

Uma vídeo-laparoscopia pode fornecer informações sobre a localização, extensão e tamanho dos implantes endometriais.

Freqüentemente, neste procedimento, o médico tenta tratar completamente a endometriose para não ter que fazer uma nova cirurgia. ENDOMETRIOSE: Diagnóstico e Tratamento, Tópicos de Saúde

Estágios da endometriose

Definido o diagnóstico de endometriose, cabe definir o estágio da doença para que o tratamento adequado seja realizado.

A endometriose tem quatro estágios:

publicidade

  • I: Mínimo
  • II: Leve
  • III: Moderado
  • IV: Grave

Diferentes fatores determinam o estágio do distúrbio. Esses fatores podem incluir a localização, número, tamanho e profundidade dos implantes endometriais.

Estágio I: Mínimo

Na endometriose mínima, há pequenas lesões ou feridas e implantes endometriais superficiais no ovário. Também pode haver inflamação na cavidade pélvica ou ao redor dela.

Estágio II: Leve

A endometriose leve envolve lesões leves e implantes superficiais no ovário e no revestimento pélvico.

Estágio III: Moderado

A endometriose moderada envolve a presença de implantes profundos no ovário e no revestimento pélvico, como também de pequenos endometriomas. Também pode haver mais lesões e aderências membranosas.

Estágio IV: Grave

O estágio mais grave da endometriose envolve múltiplos implantes profundos no revestimento pélvico e nos ovários. Há grandes endometriomas. Também pode haver lesões nas trompas de Falópio e no intestino, com diversas aderências densas. ENDOMETRIOSE: Diagnóstico e Tratamento, Tópicos de Saúde

Tratamentos médicos

O tratamento para endometriose geralmente envolve medicação ou cirurgia.

A abordagem escolhida dependerá da gravidade dos sinais e sintomas e se a mulher espera engravidar.

Os médicos geralmente recomendam a tentativa de abordagens de tratamento conservador primeiro, optando pela cirurgia se o tratamento inicial falhar.

Medicação para dor

Geralmente são recomendados os analgésicos de venda livre, como os anti-inflamatórios não esteróides (AINEs) – ibuprofeno ou naproxeno –  para ajudar a aliviar as cólicas menstruais.

Em alguns casos, pode ser recomendada a terapia hormonal em combinação com analgésicos, se a mulher não estiver tentando engravidar.

Terapia hormonal

Às vezes, os hormônios suplementares são eficazes na redução ou eliminação da dor da endometriose.

A ascensão e queda de hormônios durante o ciclo menstrual faz com que os implantes endometriais espessem, descolem e sangrem (assim é o ciclo menstrual).

A medicação hormonal pode retardar o crescimento do tecido endometrial e impedir novos implantes de tecido endometrial.

A terapia hormonal não é uma solução permanente para a endometriose.

É como encolher uma mola: se para a medicação, o problema volta.

As terapias usadas para tratar a endometriose incluem:

Contraceptivos hormonais

Pílulas anticoncepcionais, adesivos e anéis vaginais ajudam a controlar os hormônios responsáveis ​​pelo acúmulo de tecido endometrial a cada mês. Muitos têm fluxo menstrual mais leve e mais curto quando estão usando um contraceptivo hormonal. O uso de contraceptivos hormonais – especialmente os regimes de ciclo contínuo – pode reduzir ou eliminar a dor em alguns casos.

Agonistas e antagonistas do hormônio liberador de gonadotrofina (Gn-RH)

Esses medicamentos bloqueiam a produção de hormônios estimuladores do ovário, diminuindo os níveis de estrogênio e impedindo a menstruação. Isso faz com que o tecido endometrial encolha. Como esses medicamentos criam uma menopausa artificial, tomar uma dose baixa de estrogênio ou progestina junto com agonistas e antagonistas do Gn-RH pode diminuir os efeitos colaterais da menopausa, como ondas de calor, secura vaginal e perda óssea.

Terapia com progesterona

Uma variedade de terapias com progesterona, incluindo um dispositivo intra-uterino com levonorgestrel (Mirena), implante contraceptivo (Nexplanon), injeção contraceptiva (Depo-Provera) ou pílula de progesterona (Camila), pode interromper os períodos menstruais e o crescimento de implantes endometriais, pode aliviar os sinais e sintomas da endometriose.

Inibidores da aromatase

Os inibidores da aromatase são uma classe de medicamentos que reduzem a quantidade de estrogênio no corpo da mulher. O inibidor da aromatase pode ser prescrito  juntamente com um progestógeno ou contraceptivo hormonal para tratar a endometriose.

ENDOMETRIOSE: Diagnóstico e Tratamento, Tópicos de Saúde

Cirurgia conservadora

A mulher que tem endometriose e está tentando engravidar, a cirurgia para remover os implantes de endometriose, preservando o útero e os ovários (cirurgia conservadora), pode aumentar as chances de sucesso.

Se a mulher tiver dor intensa pela endometriose, também poderá se beneficiar da cirurgia – no entanto, a endometriose e a dor podem retornar.

O médico pode fazer esse procedimento por laparoscopia ou, menos comumente, por meio de cirurgia abdominal tradicional em casos mais extensos.

Mesmo em casos graves de endometriose, a maioria pode ser tratada com cirurgia vídeo-laparoscópica.

Tratamento de fertilidade

A endometriose pode levar a problemas para engravidar.

O tratamento da fertilidade varia desde estimular os ovários a produzir mais óvulos à fertilização in vitro.

publicidade

O tratamento certo depende da causa.

Histerectomia com remoção dos ovários

A cirurgia para remover o útero (histerectomia) e ovários (ooforectomia) já foi considerada o tratamento mais eficaz para a endometriose.

Mas os especialistas em endometriose estão se afastando dessa abordagem, concentrando-se na remoção cuidadosa e completa de todo o tecido da endometriose.

A falta de hormônios produzidos pelos ovários pode melhorar a dor da endometriose para algumas mulheres, mas para outras, a endometriose que permanece após a cirurgia continua a causar sintomas.

E remover os ovários resulta em menopausa precoce.

A menopausa precoce também apresenta risco de doenças cardíacas e dos vasos sanguíneos (cardiovasculares), certas condições metabólicas e morte precoce.

Às vezes, a remoção do útero (histerectomia) pode ser usada para tratar sinais e sintomas associados à endometriose, como sangramento menstrual intenso e menstruação dolorosa devido às contrações uterinas, mas só é uma opção se a mulher não deseja mais engravidar.

Mesmo quando os ovários são deixados no lugar, uma histerectomia ainda pode ter um efeito a longo prazo na saúde, especialmente se realizada antes dos 35 anos.

Tratamento alternativo

Calor e conforto ENDOMETRIOSE: Diagnóstico e Tratamento, Tópicos de Saúde

O calor pode relaxar os músculos pélvicos, o que pode reduzir as cólicas e a dor.

Pode-se usar banhos quentes, bolsas de água quente ou almofadas de aquecimento para tratar as cólicas de maneira eficaz.

Estar confortável também será benéfico.

Corrente TENS (Transcutaneous Electrical Nerve Stimulation)

ENDOMETRIOSE: Diagnóstico e Tratamento, Tópicos de Saúde

Os pulsos elétricos funcionam bloqueando a dor nos nervos e ajudando o corpo a produzir endorfinas que são analgésicos naturais que combatem a dor.

A corrente TENS é gerada em equipamentos portáteis vendidos na internet e em lojas de produtos hospitalares e de fisioterapia.

Mulheres grávidas ou com problemas cardíacos não devem usar.

Estilo de vida

A prática de atividade física, alimentação saudável e redução do estresse aumentam o limiar à dor.

Referências

publicidade

Veja também: