CÂNCER DE CÓLON (Colorretal): Tratamento e Prevenção

Tempo de leitura: 4 minutos 
 

Tratamento

O plano de tratamento do câncer de cólon depende de vários fatores.

A determinação do melhor curso de ação leva em conta a saúde geral da pessoa e é planejado conforme o estágio do câncer.

publicidade

O estadiamento do câncer ocorre após o diagnóstico inicial e pode envolver vários testes como visto no texto anterior.

Cada teste ajudará o médico a determinar quanto do corpo o câncer afetou.

Após determinar o estágio, o médico recomendará o tratamento.

Leia antes sobre os sintomas e diagnóstico do câncer de cólon.

O tratamento para o câncer de cólon geralmente envolve cirurgia para remover o câncer e, em alguns casos, radioterapia,  quimioterapia e imunoterapia.

Quimioterapia CÂncer de cÓlon (colorretal): tratamento e prevenção

A quimioterapia usa drogas para destruir células cancerígenas.

A quimioterapia é geralmente administrada após a cirurgia se o câncer for maior ou se espalhar para os gânglios linfáticos.

Dessa forma, a quimioterapia pode matar todas as células cancerígenas que permanecem no corpo e ajudar a reduzir o risco de recorrência do tumor.

A quimioterapia também pode ser usada antes da cirurgia para reduzir o tamanho do tumor e facilitar a remoção deste.

E, por fim, a quimioterapia também pode ser usada para aliviar os sintomas da neoplasia maligna de cólon que não pode ser removido com cirurgia ou que se espalhou para outras áreas do corpo.

Radioterapia

A radioterapia utiliza fontes de energia radioativa para matar as células cancerígenas.

A radioterapia também pode ser usada para reduzir o tamanho do tumor antes da cirurgia.

Quando a cirurgia não é uma opção, a radioterapia pode ser usada para aliviar sintomas, como dor.

Às vezes, a radioterapia e quimioterapia são usadas em combinação no tratamento.

Imunoterapia

A imunoterapia é um tratamento medicamentoso que usa o sistema imunológico para combater o câncer.

Atualmente a imunoterapia é reservada para o câncer de cólon avançado.

publicidade

Tratamento conforme o estágio

Conhecer o estágio do câncer ajuda a decidir sobre o melhor tratamento.

CÂncer de cÓlon (colorretal): tratamento e prevenção

Estágio 0

Quando células cancerígenas são encontradas somente na parede ou mucosa do cólon: é o chamado carcinoma in situ.

Geralmente há apenas um pólipo malignizado.

Tratamento: uma polipectomia, realizada durante a colonoscopia, pode remover toda a neoplasia maligna.

Estágio 1

O tumor está um pouco maior, mas ainda não se espalhou para fora da parede intestinal.

Tratamento: a cirurgia, chamada de colectomia parcial, é realizada para remover a área afetada.

Estágio 2

Quando o tumor se espalhou além da parede do cólon, mas não afetou os gânglios linfáticos. 

Nesse estágio, o tumor pode ou não já ter afetado os órgão vizinhos.

Tratamento: o câncer de estágio 2 é tratado com cirurgia para remover as áreas afetadas. A quimioterapia e a radioterapia também podem ser recomendadas em alguns casos para matar as células cancerígenas restantes e reduzir o risco de recorrência.

Estágio 3

O câncer se espalhou para os linfonodos próximos.

Nesta fase, embora os linfonodos sejam afetados, o câncer ainda não afetou outros órgãos do corpo.

Tratamento: O tratamento envolve cirurgia para remover as áreas afetadas e quimioterapia. Radioterapia também pode ser recomendada para pacientes que não têm condições de fazer cirurgia ou para pacientes que ainda podem ter células cancerígenas em seus corpos após a cirurgia.

Estágio 4

O câncer se espalhou para outras partes do corpo, através da corrente sanguínea e da linfática: há metástases.

Tratamento: podem ser feitas cirurgias para remover pequenas áreas ou metástases nos órgãos afetados. Em muitos casos, no entanto, as áreas são grandes demais para serem removidas. A quimioterapia pode ajudar a encolher os tumores, para que a cirurgia seja mais eficaz ou para prolongar a vida.

Cuidados de suporte (paliativos)

Os cuidados paliativos são cuidados médicos especializados que se concentram no alívio da dor e de outros sintomas de uma doença grave.

Os cuidados paliativos são prestados por uma equipe de médicos, enfermeiros e outros profissionais especialmente treinados para dar suporte ao paciente e também à família.

As equipes de cuidados paliativos visam melhorar a qualidade de vida das pessoas com câncer e de suas famílias.

Essa forma de atendimento é oferecida juntamente com tratamentos curativos. Não é somente para casos com pouca expectativa de cura.

Prevenção

Mudanças no estilo de vida

Algumas medidas podem reduzir o risco de desenvolver câncer de cólon:

  • Alimentação com variedade de frutas, legumes e grãos integrais. Frutas, vegetais e grãos integrais contêm vitaminas, minerais, fibras e antioxidantes, que podem desempenhar um papel na prevenção deste e de outros tumores malignos.
  • Evitar bebidas alcoólicas ou beber com moderação. Limitar a quantidade de álcool a não mais que uma dose por dia para mulheres e duas para homens.
  • Parar de fumar. O hábito de fumar favorece o desenvolvimento de inúmeros tipos de neoplasias.
  • Praticar atividades físicas durante a semana. Tente fazer pelo menos 30 minutos de atividade física 5 vezes por semana.
  • Manter um peso saudável. Quem está com peso saudável, deve mantê-lo, combinando uma dieta saudável com exercícios diários. Quem precisa perder peso, deve perder lentamente, aumentando a quantidade de exercício e reduzindo o número de calorias que consome. CÂncer de cÓlon (colorretal): tratamento e prevenção

Prevenção do câncer de cólon para pessoas de alto risco

Aspirina

Algumas evidências relacionam um risco reduzido de pólipos e neoplasias malignas de cólon ao uso regular de ácido acetil salicílico, a Aspirina. Mas não está claro qual dose e quanto tempo seria necessário para reduzir o risco. Tomar aspirina diariamente traz alguns perigos, incluindo sangramento gastrointestinal e úlceras.

Não há evidências suficientes para recomendar esse medicamento a pessoas com risco médio de câncer de cólon, sendo, portanto, uma opção reservada para pessoas com alto risco.

Referências

publicidade

Veja também: