Apneia do sono: pode matar?

Apneia do sono: o que é, sintomas e se pode matar

Tempo de leitura estimado: 6 minutos
Print Friendly, PDF & Email

A apneia do sono é uma condição caracterizada por respiração anormal durante o sono.

Pessoas com apneia do sono têm múltiplas pausas prolongadas na respiração quando dormem.Isso acontece porque as paredes da garganta relaxam e se estreitam durante o sono, interrompendo a respiração normal

Esses lapsos respiratórios temporários causam sono de baixa qualidade e afetam o suprimento de oxigênio do corpo.

A pessoa geralmente ronca e costuma acordar sentindo cansaço, apesar de ter dormido por horas suficientes.

Essa redução momentânea na oxigenação do sangue e o sono interrompido regularmente podem ter um grande impacto na qualidade de vida e aumentar o risco de desenvolver outros problemas de saúde.

Tipos de apneia do sono

Existem três tipos de apneia do sono:

  • Apneia obstrutiva do sono: ocorre quando as vias aéreas na parte posterior da garganta ficam fisicamente bloqueadas. Essa obstrução causa lapsos temporários na respiração.
  • Apneia Central do Sono: ocorre porque há um problema com o sistema do cérebro para controlar os músculos envolvidos na respiração, levando a uma respiração mais lenta e superficial.
  • Apneia mista do sono: quando uma pessoa tem os dois tipos acima ao mesmo tempo, é referida como apneia mista do sono ou apneia complexa do sono.

Como as causas são distintas, existem diferenças importantes nos sintomas, causas e tratamentos dos tipos de apneia do sono.

Neste artigo vamos abordar a apneia obstrutiva do sono e, para facilitar a leitura, chamaremos somente de apneia do sono.

Apneia e hipopneia

Existem dois tipos de interrupção de respiração característicos de apneia obstrutiva do sono:

  • apneia – onde os músculos e os tecidos moles da garganta relaxam e colapsam o suficiente para causar bloqueio total da via aérea;. É chamado de apneia quando o fluxo de ar está bloqueado por 10 segundos ou mais.
  • hipopneia – bloqueio parcial da via aérea que resulta em uma redução do fluxo de ar superior a 50% durante 10 segundos ou mais.

Pessoas com apneia obstrutiva do sono podem experimentar episódios repetidos de apneia e hipopneia durante toda a noite. Esses eventos podem ocorrer em torno de uma vez a cada dois minutos em casos graves.

Sintomas e sinais

A apneia do sono afeta mais os homens do que as mulheres . Pode ocorrer em pessoas de qualquer idade, mas é mais comum em adultos mais velhos.

Durante um episódio, a falta de oxigênio faz o cérebro sair do sono profundo – seja para um sono mais leve ou para acordar – a fim de sair do estado de relaxamento da musculatura e reabrir a via aérea e poder respirar normalmente.

Vamos dividir os sintomas e sintomas devido ao sono insatisfatório e à diminuição dos níveis de oxigênio que ocorrem como resultado da respiração interrompida e sintomas pela mecânica do processo na garganta.

Sintomas devido ao sono insatisfatório e à diminuição dos níveis de oxigênio:

  • Respiração interrompida em que a respiração de uma pessoa pode se tornar difícil ou mesmo parar por até um minuto de cada vez, quando dormindo
  • Sonolência diurna excessiva
  • Dores de cabeça matinais
  • Irritabilidade
  • Atenção limitada ou dificuldade em pensar com clareza Apneia do sono: pode matar?

Sintomas pela mecânica do processo na garganta:

  • Ronco: geralmente alto
  • Respiração barulhenta e com esforço
  • Períodos curtos e repetidos em que a respiração é interrompida e volta ofegante
  • Dor de garganta matinal ou boca seca

O ronco crônico é o sintoma mais comum, mas isso não significa que todas as pessoas que roncam tenham apneia do sono.

Normalmente, a pessoa não lembra da respiração interrompida e não sabe que tem o problema.

Por esse motivo, muitas vezes elas só descobrem o problema por meio de um parceiro, parente ou colega de quarto.

A sonolência diurna excessiva é o sintoma mais provável de ser percebido por pessoas com apneia do sono que vivem sozinhas.

Algumas pessoas com apneia obstrutiva do sono também podem sofrer suores noturnos e podem acordar com freqüência durante a noite.

Essas repetidas interrupções no sono podem fazer a pessoa se sentir muito cansada durante o dia.

Apneia do sono: pode matar?

Causas e fatores de risco

A apneia obstrutiva do sono ocorre quando as vias respiratórias de uma pessoa ficam bloqueadas durante o sono.

É normal que os músculos e os tecidos moles da garganta relaxem e “caiam” até certo ponto enquanto a pessoa dorme. Para a maioria das pessoas isso não causa problemas respiratórios.

Em pessoas com apneia obstrutiva do sono a via aérea está com o diâmetro diminuído como resultado de uma série de fatores, incluindo:

  • Obesidade ou excesso de peso – gordura corporal excessiva aumenta a maior parte do tecido mole no pescoço, o que pode colocar tensão sobre os músculos da garganta; um aumento de 10% no peso pode equivaler a um aumento de seis vezes no risco de apneia do sono.
  • Sexo masculino – não se sabe por que a apneia obstrutiva do sono é mais comum nos homens do que nas mulheres, mas pode estar relacionada a diferentes padrões de distribuição de gordura corporal
  • idade acima de 40 anos – embora possa ocorrer em qualquer idade, é mais comum em pessoas com mais de 40 anos
  • Medicamentos com efeito sedativo – como comprimidos para dormir ou tranquilizantes, podem fazer com que o tecido da garganta relaxe, tornando mais fácil a obstrução das vias aéreas.
  • Características anatômicas: o tamanho e o posicionamento do pescoço, mandíbula, língua, amígdalas e outros tecidos de uma pessoa próximos à garganta podem afetar diretamente o fluxo de ar.
  • Bebidas alcoólicas – ingerir bebidas alcoólicas, especialmente antes de ir dormir, pode gerar ou piorar o ronco e a apneia do sono
  • Fumar – fumantes são mais propensos a desenvolver apneia do sono
  • Estar próximo à menopausa – as alterações nos níveis hormonais durante o período em que ocorre a menopausa (climatério) podem fazer com que os músculos da garganta relaxem mais do que o habitual
  • História familiar de apneia obstrutiva do sono – pessoas que têm um ou mais parentes próximos com apneia obstrutiva do sono são mais propensas, pois podem haver genes herdados dos pais que tornem a pessoa mais suscetível
  • Congestão nasal – A apneia obstrutiva do sono ocorre mais frequentemente em pessoas com congestão nasal, com desvio de septo ou presença de pólipos nasais, como resultado do estreitamento das vias respiratórias
  • Dormir de “barriga para cima”: essa posição de dormir facilita o colapso do tecido ao redor das vias aéreas e causa bloqueios.
  • Anormalidades hormonais: condições hormonais como hipotireoidismo e acromegalia (excesso de hormônio do crescimento) podem aumentar o risco, por causarem inchaço do tecido próximo às vias aéreas e / ou contribuírem para o risco de obesidade de uma pessoa.

Determinando a gravidade da apneia obstrutiva do sono

A gravidade é determinada pela frequência de episódios de apneia/hipopneia no decorrer de uma hora.

  • leve – de 5 a 14 episódios por hora
  • moderado – de 15 a 30 episódios por hora
  • grave – mais de 30 episódios por hora

Tratamento

A apneia obstrutiva do sono é uma condição tratável e há uma variedade de opções de tratamento que podem reduzir os sintomas.

As opções de tratamento incluem:

  • mudanças de estilo de vida – como perder excesso de peso, reduzir o álcool e dormir de lado
  • usar um dispositivo de pressão positiva contínua de pressão aérea (CPAP) – esses dispositivos impedem o fechamento de sua via aérea enquanto a pessoa dorme, fornecendo um fornecimento contínuo de ar comprimido através de uma máscara

    Apneia do sono: pode matar?
    CPAP

  • usar um dispositivo de avanço mandibular – este dispositivo é como uma forma que se encaixa ao redor dos dentes, segurando o maxilar inferior e a língua para frente para aumentar o espaço na parte de trás da garganta, durante o sono, a fim de manter as vias aéreas desobstruídas durante a noite. Existem várias modalidades, mas os mais eficazes são aqueles moldados para cada paciente. Este aparelho é oferecido pelo ortodontista.

Apneia do sono: pode matar?

A cirurgia também pode ser uma opção se houver um problema físico que pode ser corrigido cirurgicamente, como uma estrutura incomum do pescoço.

No entanto, para a maioria das pessoas a cirurgia não é apropriada e só pode ser considerada como último recurso se outros tratamentos não ajudaram.

Complicações

Os tratamentos acima mencionados geralmente podem ajudar a controlar os sintomas, embora o tratamento precise ser vitalício na maioria dos casos.

Se a apneia obstrutiva do sono não for tratada, pode ter um impacto significativo na qualidade de vida, causando problemas como o mau desempenho no trabalho e na escola.

O relacionamento com a família também pode ser afetado, devido ao incômodo que todos passam com os roncos.

A apneia obstrutiva do sono mal controlada também pode aumentar seu risco de:

Pesquisas mostram que alguém que foi privado de sono por causa de apneia obstrutiva do sono pode ter até 12 vezes mais chances de estar envolvido em um acidente de carro.

Indiretamente, em casos mais graves, a doença pode levar à morte por parada cardíaca.

Prevenção

Nem sempre é possível prevenir a apneia obstrutiva do sono, mas fazer certas mudanças de estilo de vida podem reduzir o risco de desenvolver a condição.

Essas incluem:

  • perder peso se com sobrepeso ou obesidade
  • limitar a quantidade de bebida alcoólica ingerida e evitar o álcool à noite
  • parar de fumar se fumar
  • evitar o uso de comprimidos para dormir e tranquilizantes

Referências

O que É asma: causas, sintomas e tratamento