8 Alimentos e Bebidas PROIBIDOS (ou Quase) Durante a GRAVIDEZ

Curta e Compartilhe!
Tempo de leitura: 7 minutos

Parece estranho, quando só se ouve o quê se deve comer, pensar que alguns alimentos e bebidas podem ser proibidos durante a gravidez.

Alguns alimentos são impróprios para a gestante pelo seu metabolismo ou por risco de contaminação. Outros não são saudáveis mesmo e deveriam ser evitados mesmo fora da gestação.

publicidade

Então, vamos à lista dos alimentos e bebidas que se deve reduzir ou evitar o consumo na gravidez:

1. Peixes

Peixes com alto teor de mercúrio

O mercúrio é um elemento altamente tóxico. Não há nível de exposição seguro conhecido e é mais comumente encontrado em águas poluídas.

Em quantidades mais elevadas, pode ser tóxico para o sistema nervoso, sistema imunológico e rins. Também pode causar sérios problemas de desenvolvimento em crianças.

Como é encontrado em mares poluídos, peixes marinhos grandes podem acumular grandes quantidades de mercúrio.

Portanto, as mulheres grávidas são aconselhadas a limitar o consumo de peixe com alto teor de mercúrio a não mais que 1 a 2 porções por mês.

Peixes com alto teor de mercúrio incluem:alimentos-para-evitar-na-gravidez

  • cação ou tubarão
  • peixe-espada
  • cavala
  • atum

No entanto, é importante notar que nem todos os peixes são ricos em mercúrio.

Consumir peixe com baixo teor de mercúrio durante a gravidez é muito saudável, e esses peixes podem ser consumidos até 2 vezes por semana.

Peixes mais gordos são ricos em ácidos graxos ômega-3, que são importantes para o bebê.

Peixe cru ou pouco cozidos

Peixes e frutos do mar crus, especialmente mariscos, se contaminados, podem causar infecções.

As infecções podem ser virais, bacterianas ou parasitárias, tais como norovírus, Vibrio, Salmonella e Listeria.

Algumas dessas infecções afetam apenas a mãe,causando diarreia e vômitos, deixando-a desidratada e fraca

Outras infecções podem ser transmitidas ao feto com conseqüências graves, ou mesmo fatais.

As mulheres grávidas são especialmente suscetíveis a infecções por Listeria. De fato, as mulheres grávidas têm até 20 vezes mais chances de serem infectadas pela Listeria do que a população em geral.

Esta bactéria pode ser encontrada no solo e em águas ou plantas contaminadas. O peixe cru pode ser infectado durante o processamento.

A Listeria pode ser transmitida ao feto através da placenta, mesmo que a mãe não esteja mostrando nenhum sinal de doença. Isso pode levar ao parto prematuro, aborto espontâneo, natimorto e outros problemas de saúde graves.

publicidade

As mulheres grávidas são, portanto, aconselhadas a evitar peixe cru e mariscos. Isso inclui sushis.

Dica para ingerir com segurança: cozinhe o peixe a 65°C até ficar opaco no centro.

2. Carne ou aves crus ou mal cozidas

Comer carne crua ou mal cozida aumenta o risco de infecção por várias bactérias ou parasitas, incluindo Toxoplasma, E. coli, Listeria e Salmonella.

As bactérias podem ameaçar a saúde do feto, possivelmente levando a natimortos ou doenças neurológicas graves, incluindo retardo mental, cegueira e epilepsia.

Enquanto a maioria das bactérias é encontrada na superfície de pedaços inteiros de carne, outras bactérias podem permanecer dentro das fibras musculares.

Alguns cortes inteiros de carne – como filé mignon, lombo de vaca ou bife de vaca, cordeiro e vitelo – podem ser consumidos com segurança mesmo quando não bem cozidos.

No entanto, isso só se aplica quando a peça de carne é inteira e completamente cozida por fora.

Carnes cortadas, incluindo carne moída, hambúrgueres, carne picada e carne de porco e aves, nunca devem ser consumidas cruas ou mal cozidas.

Embutidos, como linguiça e salsicha, e processados, como presunto e salame, também são motivo de preocupação. Estes tipos de carne podem ser infectados com várias bactérias durante o processamento ou armazenamento.

As mulheres grávidas não devem consumir produtos à base de carne processada, a menos que tenham sido reaquecidas até ficarem bem quentes. Embutidos só devem ser consumidos se aquecidos até ficarem cozidos.

Dicas para ingerir com segurança: use um termômetro de alimentos. Cozinhe a carne de vaca, vitelo e cordeiro a 65°C; cozinhe a carne de porco e todas as carnes moídas a 75°C. Cozinhe as aves a 80°C.

3. Ovo Cru

Ovos crus podem estar contaminados com Salmonella.

Os sintomas de infecções por Salmonella geralmente afetam apenas pela mãe e incluem febre, náuseas, vômitos, cólicas e diarreia.

No entanto, em casos raros, a infecção pode causar espasmos no útero, levando ao nascimento prematuro ou natimorto.

Alimentos que geralmente contêm ovos crus incluem:

  • Ovos levemente mexidos
  • Maionese caseira
  • Molhos de salada
  • Gemada
  • Sobremesas caseiras

A maioria dos produtos comerciais que contêm ovos crus são feitos com ovos pasteurizados e são seguros para consumir. No entanto, você deve sempre ler o rótulo para ter certeza.

As mulheres grávidas devem sempre cozinhar ovos completamente ou usar ovos pasteurizados.

Dicas para ingerir com segurança: cozinhe os ovos até as gemas ficarem firmes; cozinhe outros pratos contendo ovos a 70°C.; use ovos pasteurizados ao fazer alimentos que requeiram ovos crus.

4. Laticínios e sucos não pasteurizados

Leite não fervido ou não pasteurizado e queijo não pasteurizado podem conter uma variedade de bactérias nocivas, incluindo Listeria, Salmonella, E. coli e Campylobacter.

O mesmo vale para o suco de frutas não pasteurizado, que também é propenso a contaminação bacteriana.

Essas infecções podem ter consequências potencialmente fatais para o feto.

A bactéria pode ocorrer naturalmente ou ser causada por contaminação durante a coleta ou armazenamento.

A pasteurização é a maneira mais eficaz de matar qualquer bactéria prejudicial, sem alterar o valor nutricional dos produtos.

Para minimizar o risco de infecções, as mulheres grávidas são aconselhadas a consumir apenas leite, queijo e suco de frutas pasteurizados.

Dicas para ingerir com segurança: certifique-se que o rótulo diz que o produto é pasteurizado, particularmente no queijo de consistência macia.

Não coma alimentos crus feitos de leite cru e não pasteurizado.

5. Cafeína

A cafeína é a substância psicoativa mais comumente usada no mundo e é encontrada principalmente no café, chá, refrigerantes e cacau.

publicidade

As mulheres grávidas são geralmente aconselhadas a limitar sua ingestão de cafeína a menos de 200 mg por dia, ou cerca de 2 a 3 xícaras de café.

A cafeína é absorvida muito rapidamente e passa facilmente pela placenta e pelo feto.

Como os bebês em gestação e suas placentas não têm a enzima principal necessária para metabolizar a cafeína, altos níveis podem se acumular.

A alta ingestão de cafeína durante a gravidez mostrou restringir o crescimento fetal e aumentar o risco de baixo peso ao nascer no parto.

alimentos-para-evitar-na-gravidez

O baixo peso ao nascer – definido como menor que 2,5 kg – está associado a um aumento do risco de morte infantil e maior risco de doenças crônicas na vida adulta, como diabetes tipo 2 e cardiopatia.

Dicas para ingerir com segurança: limite a ingestão de cafeína a 200 mg por dia, o que é cerca de 2 a 3 xícaras de café.

6. Frutas e vegetais crus

A superfície de frutas e vegetais não lavados ou descascados pode estar contaminada com várias bactérias e parasitas.

Estes incluem Toxoplasma, E. coli, Salmonella e Listeria, que podem ser adquiridos do solo ou através de manipulação.

O ambiente úmido da plantação e armazenamento, além do manuseio humano, são condições ideais para a contaminação por bactérias.

As bactérias podem prejudicar a mãe e o feto.

Um parasita muito perigoso que pode persistir em frutas e vegetais é chamado Toxoplasma.

A maioria das pessoas que são têm toxoplasmose não apresenta sintomas, enquanto outras podem sentir que estão gripadas por um mês ou mais.

A maioria das crianças infectadas com o Toxoplasma, ainda no útero, não apresenta sintomas ao nascimento. No entanto, sintomas como cegueira ou deficiência intelectual podem se desenvolver mais tarde na vida.

Além disso, uma pequena porcentagem de recém-nascidos infectados tem graves lesões oculares ou cerebrais no nascimento.

Dicas para ingerir com segurança: frutas e vegetais somente devem ser consumidos depois de lavados e descascados; vegetais que não podem ser descascados devem ser bem higienizados com solução de cloro.

7. Álcool

As mulheres grávidas são aconselhadas a evitar completamente o consumo de álcool, pois aumenta o risco de aborto espontâneo e natimorto.

Mesmo uma pequena quantidade pode afetar negativamente o desenvolvimento do cérebro do bebê.

O álcool também pode causar a síndrome alcoólica fetal, que envolve deformidades faciais, defeitos cardíacos e retardo mental.

Dicas para ingerir com segurança: como nenhum nível de álcool se mostrou seguro durante a gravidez, recomenda-se evitá-lo completamente.

8. Junk e fast foods

Uma alimentação saudável na gravidez deve consistir principalmente de alimentos integrais, com muitos nutrientes para satisfazer as necessidades da mãe e da criança em crescimento.

Uma junk food é geralmente pobre em nutrientes e rica em calorias, açúcar e gorduras adicionadas.

Além disso, o açúcar tem sido associado a um risco dramaticamente aumentado de desenvolver várias doenças, incluindo diabetes tipo 2 e doenças cardíacas.

Enquanto algum ganho de peso é necessário durante a gravidez, o ganho de peso em excesso tem sido associado a muitas complicações e doenças.

Estes incluem um aumento do risco de diabetes gestacional, bem como complicações na gravidez ou parto. Também pode aumentar o risco de ter um filho com excesso de peso.

Crianças com excesso de peso têm muito mais chances de se tornarem adultos com excesso de peso.

Dicas para ingerir com segurança: junk e fast foods devem ser evitados ou ingeridos eventualmente.

Considerações

A higiene e a preparação adequadas dos alimentos são sempre recomendadas, especialmente durante a gravidez.

alimentos para evitar na gravidez

No entanto, isso nem sempre é fácil, pois alguns alimentos já podem estar contaminados antes da compra.

Por esse motivo, é melhor seguir essa lista o máximo possível. A saúde da mãe e a do feto devem vir em primeiro lugar.

Evite saladas preparadas fora de casa, especialmente se contiverem ovos, frango, presunto ou frutos do mar.

Mantenha o buffett frio no gelo e a comida quente do buffett aquecido a 65°C, ou mais ou menos a temperatura de uma xícara de café quente.

Buffetts e alimentos mantidos mornos por mais de duas horas podem ser um risco.

Reaqueça as sobras previamente cozidas até fazer vapor (75°C).

Descasque frutas e vegetais ou lave-os bem. Mantenha frutas e legumes cortados refrigerados ou no gelo.

Leia sobre alimentação saudável na gravidez.

Mantenha-se hidratada.

E não se esqueça de ter cuidado com as alergias alimentares.

Saiba mais e não tenha medo de ter relações sexuais durante a gravidez.

Referências

publicidade

Veja também:

data-matched-content-ui-type="image_sidebyside" data-matched-content-rows-num="3" data-matched-content-columns-num="3" data-ad-format="autorelaxed">